23 de julho de 2015

Explicando as frases de ''A culpa é das estrelas''



  O livro ''A culpa é das estrelas'', escrito por John Green, se popularizou tanto que é difícil até contar o quanto de dinheiro ele rendeu nas bilheterias e nas livrarias de todo o mundo. Se você não conhece a história (acho difícil que você não conheça) é sobre Hazel Grace, que é uma paciente terminal (câncer na tireoide, que se alastrou para os pulmões) e um dia, antes de completar seus 16 anos, sua mãe decidi lhe levar para um Grupo de Apoio para Crianças com Câncer e lá ela conhece Augustus Waters, a (provável) reviravolta da sua vida.

  O filme (dirigido por Josh Boone) foi lançado em 5 de Junho de 2014, mas não é para isso que eu estou aqui. Estou aqui para falar de metáforas. Você vai entender se continuar lendo esse post.

  Como vocês já sabem, tenho uma relação de amor e ódio com os livros do John Green. Mas gosto muito de uma coisa que ele faz; ele tem ''sacadas'' nos livros dele muito interessantes. As histórias dos livros estão longe de serem fantásticas e super criativas, mas uma coisa que diferencia dos outros romances que vemos por aí são suas metáforas muito bem boladas, e admito, lindas. Por isso, muitas pessoas começaram a interpretar do jeito errado (na minha opinião) as metáforas que existe em ''ACEDE''. E foi quando uma amiga virou para mim dizendo que a frase favorita dela era ''alguns infinitos são maiores que outros...'', e eu perguntei ''você sabe o que significa?'' e ela disse que não, que eu decidi revelar a minha interpretação disso. Então, primeiramente, peguem sua pipoca e seu refrigerante e vamos começar.




  Todas as frases de ''A culpa é das estrelas''

  1 - ''Alguns infinitos são maiores que outros'' - Peter Van Houten.
  2 - ''O mundo não é uma fábrica de realização de desejos'' - Gus Waters.
  3 - ''A dor precisa ser sentida'' - Uma aflição imperial
  4 - ''Meus pensamentos são estrelas que eu não consigo arrumar em constelações'' - Augustus Waters
  5 - ''Estou em uma montanha-russa que só vai para cima, amigão''   - Augustus Waters.
  6 - ''Eu tenho medo de ser esquecido'' - Augustus Waters.
  7 - ''Ás vezes as pessoas não tem noção das promessas que estão fazendo no momento que as fazem'' - Hazel Grace.
  8 - ''Não podemos escolher se vamos nos ferir ou não, mas podemos escolher quem nos ferirá'' - Augustus Waters.
  9 - ''Estou em uma montanha-russa que só vai para cima'' - Gus
  Entre outras...

  Como são inúmeras frases, decidi hoje falar apenas de três (minhas favoritas).

  ''Alguns infinitos são maiores que outros...''

  A frase mais famosa do livro inteiro. Poucas pessoas realmente conhecem o significado dela, mas hoje irei explicar: todos temos limitações diferentes. A limitação para alguém é o infinito, algo impossível de conseguir, e se conseguir será o clímax da sua história, da sua vida. Então a limitação (ou se preferir, o infinito) do seu amigo pode ser chegar na lua, enquanto o seu pode ser apenas passar no vestibular. Sua mãe pode querer ganhar o sapato mais caro, enquanto o seu pai quer apenas um abraço do filho que saiu de casa e nunca mais voltou. Alguns infinitos são maiores que outros. Algumas limitações são maiores que outras. E por isso, todas elas, independente do tamanho, são lindas.


  ''Meus pensamentos são estrelas que eu não consigo arrumar em constelações''

  É a minha frase favorita, com certeza. Ela significa que meus pensamentos são coisas que eu não consigo arrumar na minha cabeça, é tudo bagunçado. Eles nunca se encaixam e estão vagando no espaço infinito que é a minha mente. Por isso a metáfora com as estrelas e a constelação. São trilhões de estrelas, todas diferentes uma das outras, que estão vagando confusas na imensidão do universo.


  ''Não podemos escolher se vamos nos ferir ou não, mas podemos escolher quem nos ferirá''

  Não podemos escolher se vamos ou não nos machucar no mundo. É inevitável. Um dia você vai chorar, um dia você vai se iludir, mas podemos escolher que vai fazer isso conosco. E escolhendo quem vai fazer isso conosco podemos até, quem sabe, impedir esse sofrimento. Por isso é muito importante escolher muito bem os amigos e as pessoas com quem você se comunica.


  A culpa é das estrelas

  Vocês já se perguntaram por quê John Green escolheu esse nome para o livro? Para uma explicação exata e intelectual (uma coisa que eu não sou e nunca serei) existe o blog ''Nem um pouco épico'' que fez um post enorme, lindo e cheio de conteúdo sobre esse fato da escolha do nome. Deixarei aqui o link para vocês acessarem e verem. Mas eu tenho a minha própria explicação.

  Eu tive essa luz na minha vida quando estava em uma loja de R$ 1,99 (vulgo 1 dolár) em uma cidade com nome estranho nos Estados Unidos. Lá vendia, além de mil coisas de decorações lindas, vários pôsters de séries, livros e filmes. Eu vi um com várias frases de ''ACEDE'' e decidi levar, claro. Então, enquanto caminhava pela loja em busca dos meus pais, me veio de novo o nome estranho do livro. Fiquei me perguntando mil vezes de onde havia saído essa ideia do John Green... e foi aí que aconteceu. Vários acontecimentos do filme e do livro apareceram na minha cabeça e eu finalmente achei a minha interpretação.

  Em uma cena, quando Hazel e Gus estão em um jantar em Amsterdã, o garçom vem servir champagne que deixa o casal em êxtase. Então o garçom me vem com essa frase: ''sabem o quê Dom Pérignon disse após ter inventado o champagne? 'Venham rápido', ele disse, 'estou saboreando as estrelas!''. Nesse mesmo jantar, depois que Hazel e Gus tomam o champagne, eles ficam mais relaxados e felizes, inclusive é o encontro que Gus se declara para a garota dos seus sonhos. Mesmo ela não dizendo nada, nós sabemos que naquele momento a nossa protagonista já sabia que amava desesperadamente ele. Ou seja, isso tudo não teria acontecido se não tivessem bebido, por isso, tudo culpa do champagne. Ou, como Don Pérignon chamou, culpa das estrelas. 

  Isso mesmo, agora fiquem com isso na cabeça e veja se é apenas mera coincidência ou algo bem bolado :)




    Claro que essa é a minha interpretação das frases, pode muito bem ser diferente da sua interpretação ou até mesmo da interpretação do John Green. Mas fazer o quê? Nós que escolhemos o nosso infinito...




Um comentário:

  1. Gostaria que você explicasse a frase do Gus, sobre a montanha-russa. Nunca entendi ela muito bem.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...